John Finbury and Thalma de Freitas, Sorte!

Easy-flowing vocals and lyrics with literate depth fuel recent album from distant regions of the music spectrum. Composer John Finbury collaborates with Brazilian-born vocalist Thalma de Freitas and an excellent small band on a jazzy EP called Sorte!.

The first thing that jumps out from Sorte! is de Freitas’s emotional melodicism. You don’t need to understand Portuguese to absorb it.

When you do dive into the surprising lyrics (there are English translations in the CD booklet) you find they take a intellectual approach to spirituality. The wordy “Ondas” (“Waves”) might sum this up best: “Surrealizing the suffocation/this crazy chatter helps me grow/Imagination liberates the secret doctrine of/profound knowledge.”

Sunny musicianship backs up de Freitas’s clean, unprepossessing vocals, driven in part by ever-admirable bassist John Patitucci. The instrumentalists’ delicate style of play suits the singer. De Freitas’s delivery has depth but a childlike quality as well, neither self-consciously jazzy nor bluesy, instead coasting on an easy pop-jazz coolness.

Under Vitor Gonçalves’s Rhodes filigrees in the last track, “Surrealismo Tropical,” Patitucci’s offbeat low-end churn is so powerful that the music almost has to un-trendily fade out. The song is quite a contrast from the gentle bossa nova of the opening, title track.

In between, a lovely melody defines “Filha,” the singer’s encouraging message to her daughter. Then the stark light-footed tension of “Ondas” gives way to the soft balladry of “Maio,” followed by “Oração,” a flowing appeal to a higher power who reads more like an Earth spirit than a Western almighty God. “Take our gratitude/affectionately/We do not want sweat nor blood./Our people want to pour/tears of happiness/seeing a new Earth bloom.” Don’t we all?

Sorte! is available at Amazon and from John Finbury’s Green Flash Music store.

[tradução PT]

Voz fluida e letras de músicas com um álbum literário de profundidade e combustível de regiões distantes do espectro musical. O compositor John Finbury colabora com a vocalista brasileira Thalma de Freitas e uma excelente banda pequena em um EP chamado Sorte !.

A primeira coisa que sai da Sorte! é o melodismo emocional de Freitas. Você não precisa entender o português para absorvê-lo.

Quando você mergulha nas letras surpreendentes (há traduções em inglês no encarte do CD), você descobre que elas adotam uma abordagem intelectual da espiritualidade. O prolixo "Ondas" ("Ondas") pode resumir melhor: "Surrealizar o sufocamento / essa conversa maluca me ajuda a crescer / A imaginação libera a doutrina secreta do conhecimento profundo".

A musicalidade ensolarada respalda os vocais limpos e pouco atraentes de Freitas, impulsionados em parte pelo sempre admirável baixista John Patitucci. O delicado estilo de jogo dos instrumentistas combina com o cantor. A entrega de De Freitas tem profundidade, mas também uma qualidade infantil, nem conscientemente jazzística, nem blues, mas sim de um frescor fácil do pop-jazz.

Sob as filigranas de Vitor Gonçalves na última faixa, "Surrealismo Tropical", o churn pouco frequente de Patitucci é tão poderoso que a música quase desaparece. A música é um contraste da gentil bossa nova da abertura, a faixa-título.

No meio, uma linda melodia define "Filha", a mensagem encorajadora da cantora para sua filha. Em seguida, a forte tensão de “Ondas” dá lugar à balada suave de “Maio”, seguida por “Oração”, um apelo que flui para um poder superior que se lê mais como um espírito da Terra do que um Deus Todo-Poderoso ocidental. "Aceite nossa gratidão / carinho / Nós não queremos suor nem sangue. / Nosso povo quer derramar lágrimas de felicidade / ver uma nova flor da Terra." Não todos nós?

Sorte! está disponível na Amazon e na loja Green Flash Music da John Finbury.

Thalma de Freitas